O que é o projecto LIFE LiveAdapt?

Uma equipa de investigadores internacionais (Espanha, Portugal e França) vai desenvolver, durante os próximos quatro anos, modelos de adaptação às alterações climáticas aplicados à indústria pecuária no sul da Europa.

Os impactos negativos que as alterações climáticas geram na pecuária afectam grandemente o sul da Europa, resultando em situações de stress animal (altas temperaturas, p.e.), consequente diminuição da produtividade e custos extras por parte dos produtores, que ficam assim obrigados a fazer maiores esforços para manter a qualidade de vida do animal e a qualidade do produto. A escassez e baixa qualidade da água, a deterioração das pastagens devido a ondas de calor, e a erosão do solo observada após as chuvas torrenciais, agravam ainda mais este cenário. Para enfrentar esta situação que compromete a sustentabilidade da pecuária extensiva, a equipa multidisciplinar que integra o projecto tem como principais objectivos a implementação de uma estratégia baseada em tecnologias e práticas inovadoras que permitam a adaptação do sector às alterações climáticas. As linhas de acção prendem-se, por exemplo, com inovações na captação e uso da água, ou com o uso de tecnologias de informação e comunicação (TICs) para a gestão da pecuária. A identificação de boas práticas em modelos de produção animal que contemplem a eficiência energética, a gestão de resíduos, a gestão da água e a melhoria da biodiversidade fortalecerão a sustentabilidade ambiental a longo prazo.
Para tornar a mudança possível, o LiveAdapt prestará formação e consultadoria aos produtores de gado de modo a adaptarem suas explorações às alterações climáticas.

A Associação de Defesa do Património de Mértola e QUERCUS de Portugal; o Institut de l’Elevage de France; e a Fundação EntreTantos, a SmartDehesa SL, a Gestiona Global, a Agronatura Servicios Florestales y Agrarios e a Fedehesa de España completam o painel de parceiros do consórcio.

A UCO, além de coordenar o LiveAdapt, contribui com investigadores dos departamentos de Produção Animal, Saúde Animal, Botânica, Ecologia e Fisiologia Vegetal e Engenharia Florestal; Fedehesa estará responsável por desenvolver o plano de comunicação do projecto, o que permitirá disseminar pelo sector afectado e o público em geral, as práticas seleccionadas.

O projecto tem um orçamento de pouco mais de dois milhões de euros, co-financiado pelo programa LIFE17 da União Europeia, um instrumento que apoia projectos de conservação ambiental e acção climática.